A associação de abdominoplastia e cesárea é totalmente contra-indicada por vários motivos. Ela envolve aumento do risco de embolia pulmonar, possibilidade de discrasias sangüíneas com hemorragias, insuficiência respiratória, aumento de infecções, septicemia, etc.
A grande infiltração líquida que há nos tecidos ao final da gravidez, a distensão uterina e a dilatação vascular decorrentes da ação hormonal alteram os parâmetros de avaliação e inviabilizam o procedimento. O útero estará distendido e levará ainda alguns meses para regredir ao seu tamanho normal.
No pós-operatório de uma cesariana a mulher comumente sofre de gases, o que comprometeria a plicatura (fechamento dos músculos retos do abdome) feita na abdominoplastia e, conseqüentemente sua respiração. Por outro lado, o pós-operatório da abdominoplastia impediria que a pretensa mamãe carregasse o seu bebê e a amamentação seria dificultosa.

Não ser imediatista nessa hora é sinal de sabedoria. Dê um passo de cada vez e curta cada momento, no tempo certo. Provavelmente virá à hora certa para realizar sua cirurgia de abdome com segurança e sem tantos riscos. Não se apresse.



Estou com um probleminha; após um mês da minha cirurgia plastica de colocação de próteses mamárias fiquei grávida. Levei a gestação até o final e tive o meu filho. Já acabei o período de amamentação que transcorreu normalmente. Não sei por que a minha prótese da mama direita ficou dura e a sinto fora do lugar. Penso que deve ter sido pela maior quantidade de produção de leite nesta mama. É possível? Gostaria de fazer uma nova cirurgia plástica e colocar próteses novas.

Primeiramente é preciso saber quanto tempo faz desde o seu parto e se realmente já cessou sua lactação. É necessário também examinar suas mamas para avaliar sua queixa de endurecimento da prótese e aspectos relacionados com a estética das mamas.

Quanto ao problema surgido com a sua prótese direita, não podemos afirmar se há alguma conexão com a lactação precoce em relação à colocação da mesma. O fato dela ter endurecido poderá ser por uma contratura capsular, que dependendo do grau alteraria o posicionamento da prótese e até deformar a mama; mas, pode ser por outro motivo a ser pesquisado através da clínica e exames de imagem. Se for confirmada contratura capsular através do exame clínico e mamografia, então, a troca das próteses estaria indicada.


BG COMENTÁRIO



Temos visto ultimamente um aumento no número de mulheres que engravidam depois de se submeterem a abdominoplastia, da mesma forma que outras desejam realizar lipoaspiração e cirurgia de abdome durante o parto.

Nós cirurgiões plásticos da BG contra-indicamos veementemente essas associações pelo enorme risco de complicações, assim como contra-indicamos também cirurgias plástica precoce para reparar os transtornos estéticos do corpo ocorrido durante a gravidez. Cirurgias de mama também são contra-indicadas nesta fase. Somente após cerca de um ano poderão ser realizadas. Assim como àquelas mulheres que fizeram plásticas anteriormente à gravidez poderão amamentar normalmente, pois, tanto nas cirurgias de redução, pexia ou aumento dos seios, a glândula mamária não é comprometida. Haverá sempre glândula para a amamentação.
Um fato comum às muitas mulheres que engravidam depois de terem feito uma abdominoplastia é que após se separaram de um primeiro casamento, quando já haviam decidido parar de ter filhos e feito cirurgia de abdome ou outras (mastoplastias, lipoaspiração), voltam a formar outra família e desejam ter mais filhos.

Todos sabem que a abdominoplastia reduz a capacidade de distensão do abdome, em decorrência da retirada do excesso de pele e da aproximação dos músculos retos do abdome (plicatura) realizada para corrigir a sua dilatação. Uma nova gravidez poderá transcorrer sem grandes problemas; mas será considerada de risco e acompanhada como tal.

Os danos estéticos mais comumente causados por uma gestação pós-plástica abdominal são: alargamento da cicatriz cirúrgica do abdome, aparecimento de estrias, possibilidade de desenvolver varizes, hemorróidas e desconforto respiratório. Não podemos descartar a possibilidade de parto prematuro. Naquelas que nunca fizeram plástica a briga é com o excesso de gordura localizada e a flacidez de pele.

O teste de gravidez passou a ser uma rotina nos exames de pré-operatórios de nossas pacientes com possibilidades de engravidar. Temos que encarar como um fato real na vida de uma mulher a qualquer tempo.

DICA: Entre no nosso site: www.bgcirurgiaplastica.com.br e informe-se o assunto em Gravidez versus cirurgia plástica e Gravidez: Dilema da Alteração do Corpo & Cirurgia Plástica.



Dimitri Chiparus:

Sentimento, Amizade, Amor pelos Animais na mais Pura Arte.


Friends forever
Nordica
Se você gostou dos assuntos ou queira saber mais sobre outros nos escreva.
Caso não queira mais receber esse informativo, basta responder a esse e-mail com o assunto CANCELAR.

Desenvolvido por Seu Site na Internet