Ao meu pai que não se encontra mais aqui devo a minha profissão de médico. Tenho na lembrança que quando era criança ele me chamava de Doutor e assim me apresentava aos seus colegas. Depois, medicina virou quase que uma obsessão e não foi fácil me formar em médico. Na minha cidade, São Luís, na minha época só tinha uma faculdade de medicina e um vestibular dificílimo, muito concorrido.


Mas, passei e, achava que tinha conseguido o meu intento de ser médico. Pronto, agora é só terminar o curso para ser médico e já serei Doutor. Pronto nada; passaram-se os seis anos, me formei e depois veio o questionamento qual o tipo de doutor eu iria ser. Mais uma vez o meu pai aparece: -"por que você não se torna um médico que opera, ou melhor, um obstetra?". Realmente, comecei a minha vida cirúrgica nas maternidades, mas não segui carreira. Durante a residência de cirurgia geral tive a orientação de permanecer nesta área e dois convites com bolsas de estudo para fora do Brasil nas especialidades de ortopedia e protologia.

Quando estava terminando a residência de cirurgia geral o meu pai enfartou e tive que acompanhá-lo até São Paulo para a colocação de pontes de safena.

Naquela ocasião conheci um famoso cirurgião cardíaco que sugeriu que eu fizesse concurso naquele hospital, pois, assim sendo eu estaria prestando um serviço à minha cidade carente de cirurgia do coração. Mas, a minha opção ficou com a cirurgia plástica que ainda tinha pouca informação. Tive que vir para o Rio de Janeiro para realizar a minha vontade de ser cirurgião plástico. Mais uma vez não encontrei facilidade; prestei concurso para alguns serviços da especialidade pretendida e fui aprovado para o Instituto Nacional de Câncer. Mudar de cidade e ficar longe dos seus foi uma luta que tive que enfrentar com todas as saudades, perseverança e muita batalha.

Passaram-se já vinte e quatro anos que me encontro formado como médico e dezoito anos como cirurgião plástico. Um bom tempinho.

Como cirurgião plástico, lembro-me que no início da carreira era um eterno insatisfeito. Estava sempre exigindo o máximo da perfeição do corpo aliado aos meus conceitos de que poderia consertá-lo da maneira mais exata e bonita. Essa exigência não mudou, mas percebi com a experiência vivida que as limitações dos desejos pretendidos pelo paciente podem ser compreendida e perfeitamente possíveis, mas os "poréns" existem na sua idealização e no seu projeto final. Não somos totalmente simétricos, nossa visão de beleza não é igual, continuamos envelhecendo e dependemos muito do nosso corpo no que concerne a sua reação natural.


Em cirurgia plástica a cicatriz advém de uma incisão. É um fim que deverá está mimetizada, escondida e imperceptível, mas ela poderá se comportar de uma maneira que independe do desejo do paciente, da cirurgia bem realizada e do cirurgião; assim como, as trações deverão ser as mais naturais possíveis, não bastando apenas esticar, pois, se esticar demais ou errado ficará artificial. Para ser cirurgião plástico há de se seguir uma filosofia de pensar e traduzir nos movimentos manuais a sua arte e magia.

Com relação à beleza física relaciono quatro tipos: a que somos, a que vemos, a que queremos e a que nos é imposta. A beleza que somos é nata, "nascemos belos". A nossa visão constitui a nossa primeira vaidade, pois com ela passamos a nos compararmos uns com os outros e, pela nossa natureza de insatisfação passamos a desejar a beleza do outro. Já a beleza imposta é seguida por todos nós; pacientes e cirurgiões plásticos. São os conceitos, os interesses, as tendências do mundo em movimento dinâmico constante. Quando comecei a praticar a cirurgia plástica seios bonitos eram aqueles de volumes pequenos e, assim as mastoplastias redutoras constituíam o desejo da época: "ter seios juvenis". As inclusões de próteses tinham um caráter preconceituoso, mas hoje são as mastoplastias de aumento com o implante de silicone que passaram a ser o desejo de muitas mulheres, "as mamas sensuais e sedutoras".

É bem verdade que estamos vivendo cada vez mais, mas nunca paramos de envelhecer mesmo com a cirurgia plástica que atenua as durezas do tempo. Para algumas técnicas existe um tempo de validade; um lift facial dura em média 5 a 8 anos e as próteses de mama têm que ser trocadas a cada dez anos. Acho particularmente como cirurgião plástico que o tempo de parar é válido tanto para o cirurgião plástico como para qualquer paciente.

O paciente de cirurgia plástica é leigo no conhecimento da especialidade. Normalmente procura anseios e desejos de realizações de procedimentos que acha ser muito fácil fazer. Cirurgia plástica é medicina, leva-se anos para se aprender o domínio de suas técnicas e não podemos desrespeitar as leis naturais deste complexo corpo com tanta facilidade.


O verdadeiro enfrentamento com Deus acontece a cada cirurgia, pois temos que controlar as nossas vaidades. É com os pacientes da cirurgia plástica reparadora quando nos deparamos com as mutilações: uma queimadura, um câncer e suas conseqüências que nos curvamos ao criador. Conseguimos reparar com as mais modernas técnicas cirúrgicas, colocamos todo o nosso empenho e entusiasmo, mas o nosso melhor nunca alcançará a perfeição do cirurgião maior, Deus. Nós cirurgiões plásticos e pacientes continuamos a ser as criaturas do criador.

Devemos ter respeito pelo corpo, não podemos aceitar as tiranias de beleza que nos é imposto, escravizar-se pelo "corpo perfeito", temos que controlar a nossa eterna busca da juventude e da sensualidade extremada. Devemos manter a nossa mente saudável assim como é obrigação tratarmos bem do nosso corpo.

O meu pai quando completou os seus cinqüenta anos foi a um "fotógrafo" e disse a este amigo que o fizesse bem bonito e fez a seguinte dedicação à minha mãe:

"À minha querida esposa Bibi todo o meu carinho, Zé Vieira".

Este ano completo 50 anos e como o meu pai dedico esta foto a ele: "Valeu Pai todo o seu esforço para me tornar médico. O meu pai faleceu no ano que me formei em Cirurgião Plástico.


Perguntinhas Básicas:


Signo: Virgem.
Bebida preferida: Chapangne
Comida preferida: Frutos do mar com massa
Perfume: Não tenho um em particular.
Hobbie: Música, jardinagem, fotografia.
Melhor cidade que o Senhor já visitou: Paris.
Se não morasse no Brasil moraria onde: França.
Beleza é: Desejo.
Cirurgia Plástica é: Vocação.
BG ZODÍACO
Procure o corpo de uma mulher
Período: 23 AGO a 22 SET
Planeta Regente:Mercúrio
Elemento: Terra
Qualidade: Mutável
Pecado Capital: Inveja
Signo Complementar: Peixes
Oposto Psicológico: Leão
Dia da Semana: Quarta-Feira
Período: 23 SET a 22 OUT
Planeta Regente:: Vênus
Elemento: Ar
Qualidade: Cardinal
Pecado Capital: Luxúria
Signo Complementar: Áries
Oposto Psicológico: Câncer
Dia da Semana: Sexta-Feira
BG HUMOR

Se você gostou dos assuntos ou queira saber mais sobre outros nos escreva.
Caso não queira mais receber esse informativo, basta responder a esse e-mail com o assunto CANCELAR.

Desenvolvido por Seu Site na Internet